Fotos: Daniel Lellis Siqueira

O Jogo do Folclore

Após passarem pelo temível leão Tibério, que guardava a sala secreta do dono do circo, três palhaços encontram uma caixa com bonecos, acompanhada de um velho manuscrito no qual se lê o nome de uma brincadeira: “O Jogo do Folclore”.Essa brincadeira os leva a contar as lendas e mitos, utilizando os bonecos e muita imaginação.

O Jogo do Folclore é um musical infantil, que utiliza a linguagem do palhaço popular e do teatro de bonecos para narrar estórias do folclore brasileiro.

A ambientação acontece num circo, no qual a narração se dá não somente pela oralidade, mas também pelas pantomimas dos palhaços, pelas músicas que conferem uma função épica e pelas danças, que traz as particularidades das várias regiões brasileiras.

Percebendo a distancia atual que se encontra o universo infantil da simplicidade das brincadeiras de roda, narração de estórias e jogos coletivos e acreditando na importância dessas manifestações no contexto da criança, criamos o espetáculo e pesquisamos com cuidado os temas e eixos educacionais e artísticos para aproveitar da melhor forma as tradições, as cores, sons e formas de um Brasil rico e pouco difundido.

Galeria de Fotos

PROPOSTA DE ENCENAÇÃO

 

Na busca de uma estética que auxiliasse o espetáculo no seu objetivo de informar e divertir, tendo o folclore como foco central; tomamos como fio condutor o Palhaço Popular, resgatado nas figuras presentes nos reisados, autos e folguedos Brasileiros.

Por meio da técnica do Palhaço Popular, a encenação ganha dinâmica de jogo e sustenta a ação, ora pela interação dos palhaços com as crianças, ora pela manipulação de bonecos ou ainda com bonecos interagindo com os palhaços.

Os palhaços desde o começo do espetáculo interagem com a plateia e fazem uma checagem de conhecimentos prévios acerca do tema.

As figuras de Mateus, Bastião e Catirina, palhaços populares encontrados no “Cavalo Marinho”, auto e brincadeira típica da Zona da Mata Norte de Pernambuco, nos inspiraram nos trejeitos cênicos dos personagens Alegria, Chiquito e Xereta de O Jogo do Folclore.

Mateus, Bastião e Catirina originam dos já conhecidos Arlequim, Colombina e Briguela da Comédia dell’arte.

Pesquisamos o Cavalo Marinho por estar mais próximo da realidade e conteúdo popular brasileiro, e juntamos o Cavalo Marinho/Comédia dell’art com a figura do bonequeiro, utilizando a realidade mambembe das encenações do Circo-Teatro, como pano de fundo da encenação, contando até mesmo com uma cena, composta de forma melodramática.

Os mecanismos da cena são expostos em vários momentos da peça, assim como a manipulação de bonecos.

A preparação para narrar a estória com a visível colocação de objetos no cenário, transformando-os em personagens ou acessórios pretende criar um diálogo dos atores com o cenário, com as coreografias e mesmo com encenação, criando uma realidade mais próxima a das crianças, a do jogo dramático infantil, onde não há limites para a recriação da vida.

ASPECTOS TÉCNICOS DO ESPETÁCULO

 

O CENÁRIO é composto por quatro araras cobertas por panos. De um lado composta por uma colcha de retalhos e de outro pela pintura de um teatro.

É um cenário de fácil montagem, se adaptando a várias realidades que uma companhia mambembe pode encontrar, desde um teatro propriamente dito até o pátio de uma escola ou uma praça.

Possui um mancebo com vários acessórios e figurinos e a caixa colorida, na qual os palhaços encontram os bonecos.

O TEXTO propõe várias narrativas que são contadas utilizando bonecos do tipo fantoche/mamulengo.

Utilizamos Técnicas de Palhaço Popular, que nos possibilita intervir e brincar livremente com a platéia e técnicas de improvisação, adquiridas no estudo da teatróloga Viola Spolin entre outros.

 

O espetáculo tem DURAÇÃO de 60 minutos.

 

As MÚSICAS são executadas ao vivo, por um músico, um percussionista e cantadas pelos atores com auxilio de microfones.

O espetáculo pode ser realizado com ILUMINAÇÃO simples, mas na possibilidade da utilização de recursos específicos de iluminação (conforme descrito no mapa de luz), a luz acrescenta efeitos lúdicos ao espetáculo.

 

Necessitamos de 90 minutos para a MONTAGEM do cenário e 45 minutos para DESMONTAGEM.

FICHA TÉCNICA

 

Texto e Direção Rodrigo Ximarelli

Direção Musical Daniel Lellis Siqueira

Percussão Hamilton Ferreira

Elenco Douglas Lima, Lucas Barbugiani e Shanny Segade

Coro de Palhaços: Lucas Pedroso, Luana Tonetti e Dimas Stecca

Desenho de Luz Dimas Stecca

Técnica de Som e Luz Vanessa Macedo

Cenografia Rodrigo Ximarelli

Figurinos Márcio Laguna

Visagismo Gil Oliveira

Coreografias Dimas Stecca

Faixa Etária A partir de 2 anos

O Espetáculo "O Jogo do Folclore estreou em 2009, tendo se apresentado em dois festivais no ano seguinte e reestrenado em Agosto de 2014.

O espetáculo já realizou mais de 100 apresentações em escolas, clubes, associações, Sescs e Fábricas de Cultura.

© 2019 por evoéciadeteatro