É véspera de Natal e Luiza está ansiosa para que chegue a noite e possa abrir os presentes e comer as guloseimas. Porém, lembra-se do combinado com sua mãe: doar a boneca Filó para que outra criança também possa brincar.

Luiza está pensando se deve doar Filó ou não, quando de repente uma fada aparece, dá vida a sua boneca e diz para as duas irem para a floresta, atrás do bruxo que prendeu Papai Noel em um portal.

Apesar de se sentir pequena e incapaz, Luiza convence Filó a partir para a aventura. Leva consigo os aprendizados da fada e o amor ao próximo, que todos devemos ter, mesmo quando não é natal.

Ficha Técnica: Elenco - Cleber Galo, Luana Tonetti, Maggie Abreu e Shanny Segade - Texto e Direção - Rodrigo Ximarelli - Técnica: Lucas Barbugiani

Sinopse Completa

Luiza não dormiu a noite toda. Pela manhã, mal apareceu o sol e ela já estava de pé. O motivo: véspera de natal. Logo começaria a enfeitar a árvore e comer as guloseimas que seriam preparadas para a ceia.

Porém, se deparou com uma situação: havia combinado com sua mãe que daria sua boneca de pano para outra criança, pois há muito tempo que não brincava mais com ela.

A boneca chama-se Filó e Luiza tem ela desde pequenina. Luiza pensou nas crianças que não tinham um brinquedo, mas pensou também como gostava de sua boneca.

Lembrou que quando era criança, sonhava que Filó tivesse vida.

Luiza, começou a bocejar e logo dormiu.

Uma fada apareceu e ouvindo o pedido de Luiza deu vida para a boneca Filó. Luiza continuou dormindo e Filó pensou logo em fugir.

Mas a fada logo aconselhou: “quem cuidou de você a vida inteira, merece muito carinho e amor”. E ainda disse: “com carinho e com amor, quem ajuda o próximo tem mais valor”.

Filó, agora com vida, disse que queria voltar a ser boneca, pois já estava de casamento marcado com o soldadinho de chumbo. A fada nem ligou, acordou Luiza e disse que tinha uma grande missão para as duas: precisavam encontrar Papai Noel, que estava preso num portal feito por um bruxo muito poderoso e que somente as duas possuíam a chave para salvá-lo.

Luiza disse que não podia fazer nada, pois era muito pequena, e que sua boneca era mais fraca ainda.

A fada aconselhou a não julgar o livro pela capa e foi embora.

Filó e Luiza saíram procurando por um portal, andaram horas e não encontraram nada. Até que Luiza que tinha passado a noite toda acordada, caiu no sono novamente.

Filó que nunca tinha dormido na vida, resolveu tirar um cochilo para ver se era bom e adorou.

Dormiram por muito tempo.

Quando acordaram, perceberam que estavam no meio de uma floresta, e que um bruxo estava esperando por elas.

O bruxo era sujeito um pouco esquisito, vivia na floresta e suas roupas eram misturadas com folhas, casca de árvores, etc., por isso também, não tinha o melhor dos aspectos.

As duas assustadas, correram do bruxo, que tentava a todo tempo se explicar, mas como estava nervoso ninguém conseguia entender nada.

Depois de muito correr, encontraram um pedaço de pau e deram na cabeça do bruxo que desmaiou.

As duas tentaram abrir o portal, com palavras mágicas e danças, mas de nada adiantou, pois nem sabiam o que deveriam fazer.

Ao acordar o bruxo reclamou da paulada e pediu ajuda.

As duas negaram, ameaçaram a dar mais uma paulada. Mas Luiza logo lembrou, que não deveria brigar, muito menos bater em alguém.

O bruxo tentou explicar, mas as duas não queriam ouvir.

Um duende apareceu procurando Papai Noel. As duas disseram que o bruxo havia prendido o Papai Noel no Portal e ouvindo isso o duende deu outra paulada na cabeça do bruxo que desmaiou novamente.

Os três pensaram em uma forma para abrir o portal e nada. O duende propôs ajuda da plateia, mas no fim, também não deu certo.

Desistindo foi embora, dizendo que ia procurar o Papai Noel na China ou no Polo Norte.

O bruxo acordou com muita dor de cabeça, e antes que batessem novamente disse: Eu não sou bruxo!

Todos acharam estranho e começaram a ouvir o que ele tinha a dizer.

Ele explicou que era um bruxo, mas que não era malvado, e que precisava de uma ajuda, pois não lembrava as palavras mágicas para abrir o portal.

Filó lembrou das palavras da fada, “que não era para julgar o livro pela capa”.

E Luiza complementou “com carinho e com amor, quem ajuda o próximo tem mais valor”

Nessa hora, o bruxo ficou entusiasmado, pulava de alegria de tanta emoção. Disse que eram essas as palavras mágicas. Mas achou estranho que nada aconteceu.

Luiza pediu para todos os presentes repetirem as palavras e então perceberam que o portal começou a abrir.

Luiza e Filó cruzaram o portal. O bruxo disse para que procurassem Papai Noel, que estava do outro lado.

O bruxo foi embora, feliz que conseguiu libertar Papai Noel.

Luiza entrou correndo, segurando a boneca de pano pelo braço a procura de Papai Noel, mas ao passar o portal, percebeu que estava novamente em sua casa e sua boneca voltou a ser uma boneca de pano e que não se mexia, nem falava mais nada.

Luiza continuava com muito sono. E pensava que tinha que voltar para o portal, para encontrar Papai Noel, mas foi deitando e logo caiu no sono.

Dormiu por um tempo e só acordou quando ouviu sua mãe, chamando-a para a ceia: “Luiza, você ficou dormindo o dia todo!”

Luiza tentou explicar do aparecimento da fada, do portal, do bruxo, mas percebeu que nada adiantava. Que na verdade tudo não tinha passado de um sonho.

A mãe tentou consolar, falando da importância em acreditar nos sonhos.

Luiza perguntou se Papai Noel existia, e se ele vinha para a ceia.

A mãe respondeu que existia e sempre existirá enquanto alguém acreditar nele. Mas que não viria, pois tinha muitos compromissos.

A mãe logo mudou de assunto falando das comidas gostosas que fez e vendo a filha agarrada a boneca, perguntou se ela ia dar Filó para uma criança, conforme haviam combinado.

Luiza disse que sim, pois já tinha brincado demais com Filó e que agora ela poderia fazer outra criança feliz. Disse para a mãe ir preparando a ceia que só ia escrever uma importante lição no seu caderno.

A mãe saiu com a boneca de pano e Luiza escreveu, enquanto falava em voz alta: “com carinho e com amor, quem ajuda o próximo tem mais valor”. Nesse momento, como se fosse mágica, Luiza começou a ouvir sinos e algumas vozes felizes.

Era Papai Noel, acompanhado da boneca Filó e da sua mãe.

Luiza deu um abraço em Papai Noel, que desejou um ótimo natal a todos.

© 2019 por evoéciadeteatro